quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Uber X Taxis


Um tema que tem levantado muita poeira nas discussões sobre mobilidade urbana é a existência e a legalidade do Uber, um aplicativo que oferece um serviço alternativo ao táxi tradicional.
Antes de qualquer coisa é importante deixar claro que a carona remunerada (legal ou não) já é uma realidade e não existe movimento que qualquer sindicato faça que impeça isso de acontecer no Brasil.
Analisando apenas com o olhar de usuário que busca ter mais retorno com o investimento feito, pude constatar com o Uber é sim bem melhor que o serviço de taxi oferecido em São Paulo por exemplo.
Ao comparar os dois serviços andando em trechos muito semelhantes e em horários parecidos percebe-se que a diferença é assustadora:
Uber
Taxi
Carro limpo
Carro sujo
Sem odores ruins
Cheiro intragável
 Motorista educado e proativo
Motorista em jornada de 14 h e louco para ir embora
Carro confortável e bem conservado
Carro caindo aos pedaços e barulhento
Uso do ar condicionado normal
Uso do ar condicionado após muito insistir
Balas e revistas como cortesia
Sem qualquer tipo de cortesia
Corrida com preço pré-fixado pelo app em R$ 27,00
Corrida sem preço fixo e com desvios para aumentar o valor a ser pago R$ 51,00
Se usasse o serviço por um período de 14 dias neste mesmo trecho o valor médio seria de R$ 378,00
Se usasse o serviço por um período de 14 dias neste mesmo trecho o valor médio seria de R$ 714,00

O que mais me incomodou ao conversar sobre o Uber com a taxista nesta ocasião foi que em momento algum, mesmo com as deixas que dei, ele reconheceu que o serviço que ele estava prestando e era muito bem pago poderia ser melhorado. É muito mais fácil ir para frente de uma prefeitura pedir que eles impeçam outras pessoas de trabalhar, é mais fácil pedir para as autoridades que excluam seus concorrentes do mercado.
A concorrência é saudável para o mercado,  sem ela não teríamos empresas que melhoram seus serviços, oferecem preços competitivos, nos dão oportunidades de melhoria e o melhor de tudo, a velha história “do mar vermelho, mar azul”: somos forçados constantemente a mudar e evoluir para que saiamos do mar vermelho onde toda a concorrência navega para o mar azul, onde apenas as empresas que oferecem serviços de qualidade e ideias inovadoras estão.
A não ser que o uso do Uber seja declarado pelas autoridades como ilegal eu continuarei a usa-lo.
Quem não gosta de gastar pouco e ser bem atendido?
Quem não gosta de saber quanto vai pagar por algo antes de usa-lo?
Quem não gosta de economizar ?
Um abraço para os taxistas.

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Adeus comédia!

 
Um comediante foi condenado em aproximadamente R$ 150.000,00 por fazer uma piada, isso é ridículo, não importa se ela foi de mau gosto ou não, o que importa é que isso é um péssimo precedente para a comédia e para todas as pessoas que de alguma forma vivem dessa arte. Se você é um daqueles que vai a um show de stand-up, ou assiste a um programa que se chama #CQC (leia-se Custe o que Custar) e acha que não vai ouvir nada que não seja ofensivo, compre meio metro de corda, arrume em local mais alto que sua cabeça e pule lá de cima com ela amarrada firmemente ao seu pescoço. Se você vai a um show ou assiste a um programa de TV como esse se prepare para rir dos outros e de si quando chegar a sua vez, pois abordagens como: cor, peso, religião, time de futebol, sexualidade, regionalismos e até mesmo gravidez (sem graça ou não), serão abordados, portanto, apenas não vá ou mude de canal meu coleguinha. Sou fã do humor mais acido (não posso falar negro senão serei processado) e essa sentença só nos trás consequências ruins, nenhum comediante terá culhões e grana para se bancar se toda pessoa se sentir ofendida com uma piada.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Mídias socs nos protestos - tambem os 'recrutadores' alem dos 'espalhadores'

Estudo feito pela Oxford University e publicado no Scientific Reports confirmou que o grupo mais influente nas mídias sociais é um pequeno grupo de usuários, próximos do centro de uma rede. Esse grupo, descrito pelos pesquisadores como de 'espalhadores', tem papel crítico em disparar cadeias de mensagens que acabam chegando a 1 grande número de pessoas. Mas os participantes do início de 1 protesto e os que iniciam o processo de recrutamento nao têm posiçao central na rede - eles se movem em pequenas redes locais e disparam a atividade inicial online que, em seguida, passa a ser multiplicada pelos 'espalhadores'. A pesquisadora Dra. Sandra Gonzalez-Bailon do Oxford Internet Institute (OII) na Oxford University, em colaboraçao com colegas da universidade de Zaragoza, Espanha, coordenados pelo Dr. Yamir Moreno, analisou dados de atividade no Twitter durante os protestos de massa na Espanha em maio. Esses protestos foram disparados por uma resposta à crise financeira, e resultaram em demandas por novas formas de representaçao democrática. O principal alvo da campanha foi uma manifestaçao organizada para o dia 15 de maio, que levou milhares de pessoas às ruas. Depois da passeata, centenas de participantes acamparam em praças da cidade, até o dia 22 de maio, data de eleiçoes locais e regionais, em manifestaçoes massivas que se repetiram todos os dias durante aquela semana. O pesquisadores acompanharam os tuites de 87.569 usuários e rastrearam um total de 581.750 tuítes durante 30 dias. Descobriram que o crescimento do movimento aconteceu mediante dois processos paralelos - (1) o recrutamento, iniciado por pessoas que trabalhavam a favor do movimento desde os primeiros momentos, num processo que o estudo chama de "envio randômico"; e a difusao da informaçao, que fez crescer o movimento a partir daqueles primeiros recrutadores; a difusao foi feita pelos 'espalhadores'. Esses espalhadores estavam em pontos mais centrais da rede, nao necessariamente porque tivessem grande número de conexões, mas porque eram conectados com usuários que também tinham boas conexoes (…..) Segundo Sandra Gonzalez-Bailon, "esse é o primeiro estudo empírico que tenta analisar os mecanismos por trás do recrutamento para protestos de massa por redes online. Mostra que a mobilizaçao de grandes massas nao depende somente da influência dos usuários centrais, embora esses sejam crucialmente importantes para o crescimento do movimento, mas da açao de muitos usuários em redes locais, menores, que acabam chegando aos grupos influentes de opiniao que existam nas comunidades". "O motivo pelo qual se apóia uma causa depende de muitos fatores e está diretamente relacionado ao que acontece no mundo offline. Examinando o comportamento de usuários online das redes sociais, conseguimos estabelecer que muitos sao influenciados pelo que fazem as pessoas à sua volta. Se sao expostos a muitas msgs que conclamam a agir, em curto período de tempo, é muito provável que respondam à urgência da convocaçao e unam-se ao movimento". Conclui - "Assim se criam bolhas de recrutamento que podem converter-se em cascata global com efeitos realmente dramáticos - como demontram as grandes manifestaçoes de massa e as várias ocupaçoes que se seguiram". (Matéria do Blue Bus)

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Pare Belo Monte: Não À Mega Usina na Amazônia

Pra que não sabe ainda a Usina de Belo Monte seria maior que o Canal do Panamá, inundando pelo menos 400.000 hectares de floresta, expulsando 40.000 indígenas e populações locais e destruindo o habitat precioso de inúmeras espécies. Tudo isto para criar energia que poderia ser facilmente gerada com maiores investimentos em eficiência energética.
Sem contar no rombo de no minimo 30 bi nos cofres publicos e a nao utilização de todo seu potencial energético que se limitaria a 30%.
Justo isso, não?
A pressão sobre o governo está aumentando: o Presidente do IBAMA acabou de renunciar, se recusando a emitir a licença ambiental de Belo Monte e expondo a pressão política para levar este projeto devastador adiante. Especialistas, lideranças indígenas e a sociedade civil concordam que Belo Monte é um desastre.
Assista esse video e entenda um pouco sobre o assunto ou ainda acesse os links abaixo.
Assine Já ; http://www.movimentogotadagua.com.br/assinatura
NOVO SITE http://avaaz.org/parebelomonte
ASSINE TAMBEM : http://precojustoja.com.br/

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Campanha polêmica da Benetton

A Benetton quase nunca cria polemicas com suas campanhas, alguns dos temas de suas campanhas são criados pelo Oliviero Toscani que é um monstro quando falamos de fotografia (Dica - leia A publicidade é um cadaver que nos sorri). Nessa campanha a marca prega a tolerancia entre os povos usando lideres politicos beijando se na boca.
Nao achei que essa é a melhor forma de retratar isso, mas ainda sim as peças ficaram impactantes.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011